Declaração de Posição da SEDES sobre o Ataque Ilegal da Rússia na Europa, aos Valores Democráticos e Liberais

 

Sobre o ataque ilegal da Rússia na Europa aos valores democráticos e liberais

2 de Março, 2022

 

Em virtude da recente invasão ilegal, injustificada e não provocada da Ucrânia por parte do Governo da Federação Russa, uma reunião extraordinária conjunta dos Grupos de Trabalho de Soberania e de Política da Associação, que teve lugar ontem à noite por videoconferência e deliberou o seguinte:

1. Condenar, nos mesmos termos de Sua Excelência o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e do Secretário-Geral da ONU António Guterres, ambos distintos membros da SEDES, a violação grosseira da integridade territorial da Ucrânia por parte do Governo da Federação Russa, ao arrepio da Carta da ONU;

2. Apoiar incondicionalmente os esforços levados a cabo pelo Secretário-Geral da ONU para criar condições diplomáticas que permitam quanto antes negociar um cessar-fogo e garantir o acesso em segurança das agências humanitárias ao terreno;

3. Expressar profunda preocupação com a colocação em alerta máximo das forças de dissuasão da Federação Russa e com o fim da neutralidade nuclear da Bielorrússia, pois tais eventos representam o maior risco de conflito nuclear que o mundo enfrenta desde 1962;

4. Manifestar plena solidariedade com o povo ucraniano, em particular com a resistência liderada peloPresidente Zelenski e os cerca de 40 mil cidadãos ucranianos residentes em Portugal, e apelar às autoridades europeias e nacionais que traduzam esse sentimento em atos concretos e atempados de ajuda humanitária aos refugiados e às pessoas internamente deslocadas;

5. Nesse sentido, esperar que o Grupo Operativo Único, coordenado pelo Alto Comissariado para as Migrações e pelo Instituto da Segurança Social, se encontre devidamente capacitado para responder a um incremento no número de requerentes de proteção internacional ucranianos e também à possibilidade de a União Europeia invocar a Diretiva de Proteção Temporária; Portugal deve ter as portas abertas para todos e quaisquer ucranianos que desejem vir para o nosso país.

6. Sublinhar a condenação popular da invasão à Ucrânia através de manifestações pacíficas e espontâneas da sociedade civil que estão a ter lugar por toda a Europa, incluindo em Portugal; e estender esse apreço aos protestos igualmente pacíficos, embora realizados com grande risco pessoal, levados a cabo por cidadãos russos em distintos pontos do território da Federação Russa;

7. Consequentemente, saudar e apoiar sem hesitações a adesão de Portugal às medidas adotadas pela União Europeia, tanto ao nível das sanções económicas e financeiras contra a Federação Russa, como no fornecimento de armamento às forças ucranianas, mesmo que algumas dessas medidas venham a impactar negativamente a economia nacional, sobretudo por via do encarecimento dos preços da energia;

8. Incentivar, nas atuais circunstâncias geopolíticas, a execução dos investimentos em infraestruturas capazes de terminar com a atual dependência energética, bem como alimentar, dos fornecimentos da Federação Russa à Europa; contribuir, em termos nacionais, com as soluções que se considerarem adequadas.

9. Saudar ainda o parecer unânime do Conselho Superior de Defesa Nacional quanto às propostas do Governo para a participação das Forças Armadas Portuguesas nos planos de Resposta Graduada da NATO e para a projeção antecipada de uma companhia do Exército para a Roménia;

10. Propor a revisão em alta do objetivo, acordado entre os países membros da NATO na Cimeira de Gales de 2014, de consagrar 2% do Produto Interno Bruto a despesas em Defesa até 2024, assim como antecipar o calendário do seu cumprimento, reposicionamento que poderá vir a exigir, pelo menos, a duplicação efetiva do orçamento da Defesa Nacional de forma a permitir a participação condigna do país na Aliança Atlântica; reafirmar a importância das relações entre a União Europeia e a NATO e sublinhar a vertente atlântica de Portugal e a sua estratégica ligação ao Reino Unido e aos EUA.

11. A nível nacional, recomendar a realização de uma reunião do Conselho Superior de Segurança no Ciberespaço, por forma a assegurar que a defesa cibernética do País se encontra preparada para enfrentar eventuais ciberataques contra infraestruturas críticas;

12. Recomentar ainda ao Governo português que mantenha em funcionamento as Embaixadas em Kiev e em Moscovo até ao limite do possível;

13. Instar os partidos políticos com assento parlamentar a, logo no início da XV Legislatura, submeter ao plenário da Assembleia da República Portuguesa um voto de condenação pela invasão da Ucrânia e esperar que o mesmo possa reunir o maior consenso político;

14. Louvar o trabalho e o espírito de serviço dos jornalistas e técnicos da comunicação social portuguesa destacados na Ucrânia e nos países limítrofes e condenar todas as tentativas de censura férrea, designadamente na Federação Russa.

Par Viewsridge and others (see history) — File:2022_Russian_invasion_of_Ukraine.svg, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=115576503 

NOTÍCIAS

A guerra da Rússia contra a Ucrânia - artigo do Professor Abel Mateus
Mar. 22, 2022
O Professor Abel Mateus é o autor de um artigo com o título "A guerra da Rússia contra a ...
Declaração de Posição da SEDES sobre o Ataque Ilegal da Rússia na Europa, aos Valores Democráticos e Liberais
Mar. 02, 2022
  Sobre o ataque ilegal da Rússia na Europa aos valores democráticos e liberais 2 de Março, ...
4ª Presidência Europeia da União Europeia : o que se fez e o que fica para o futuro
Jul. 29, 2021
A Sedes e a Nossa Europa enumeraram 7 áreas prioritárias para a Presidência Portuguesa do ...
Álvaro Beleza respondeu ao famoso questionário de Proust em entrevista ao Diário de Notícias
Jul. 21, 2021
"Heróis? Churchill pela liberdade que deu à Europa e Nuno Álvares Pereira pela coragem" O ...
O Conselho Distrital da SEDES Evora tomou posse a 15 de Juho de 2021
Jul. 16, 2021
O Conselho Regional da SEDES Évora tomou posse a 15 de Julho de 2021. O Presidente do Conselho ...
A SEDES reuniu em Lisboa com Conselheiros das Comunidades Portuguesas, no passado 14 de Julho de 2021
Jul. 14, 2021
Álvaro Beleza reiterou no encontro que as Comunidades Portuguesas  são " um activo ...
A SEDES no artigo do Expresso de 9 de Julho de 2021
Jul. 10, 2021
Grandes empresários e direção da SEDES foram a Belém. PR já não esconde em ...
Marcelo encerra V Congresso da SEDES
Jun. 29, 2021
  O Presidente da República vai encerrar o V Congresso da SEDES, dia 5 de dezembro, no ...
Tomada de posse do Conselho Regional da SEDES Coimbra a 16 de Junho de 2021
Jun. 16, 2021
O Conselho Regional da SEDES Coimbra tomou posse a 16 de Junho de 2021. O Conselho Regional da ...
Tomada de posse do Conselho Regional da SEDES Algarve a 3 de Junho de 2021
Jun. 03, 2021
O Conselho Regional da SEDES Algarve tomou posse a 3 de Junho de 2021. O Conselho Regional da ...
Entrevista do Diário de Notícias a Álvaro Beleza, Presidente da SEDES - 18/06/2021
maio 18, 2021
Entrevista dn-tsf a Álvaro Beleza, Médico e presidente da SEDES (18-06-2021) Entrevista Rosália ...
Dez. 06, 2020
  SEDES é “herdeira ética” de Sá Carneiro e rejeita extremismos – Álvaro ...