Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\add-to-any-subscribe\add-to-any-subscribe.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\google-analytics-for-wordpress\googleanalytics.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\subscribe2.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\subscribe2\include\buttonsnap.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wordpress-tweeter\wptweeter.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-email-notification\email_notification_2.3.1.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\plugins\wp-mail-smtp\wp_mail_smtp.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\functions.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\single.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\header.php on line 142
Blog Sedes » GAZA

Jan 09 2009

GAZA

Como biólogo posso assegurar sem quaisquer hesitações que nunca foi vista uma avestruz a enterrar a cabeça na areia. Se isso alguma vez aconteceu no decurso da longa história evolutiva dos Struthionidae, família à qual pertencem as avestruzes, certamente que a selecção natural se encarregou de eliminar os portadores de tal comportamento pelo facto de ser um comportamento suicida, não tendo, portanto, valor de sobrevivência.

Contudo, e por razões obscuras e que o velho Darwin não explica, tal comportamento é comum em Homo sapiens. Acontece quando a realidade não nos agrada. Costuma dizer-se “fazer orelhas moucas” ou “fazer ouvidos de mercador”.

Mas sobre o que se passa agora em Gaza estou convicto de que a melhor estratégia, para o bem de todos nós, é seguir a recomendação de Sofia de Mello Breyner: “vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar…”.

Assim, não enterrando a cabeça, seria fundamental, em primeiro lugar, acreditarmos que os habitantes de Gaza são pessoas. Homens, mulheres, crianças e velhos, capazes de rir e de chorar, capazes de alegrias e de tristezas, dotados de emoções e sentimentos, exactamente como nós e como todos os israelitas que, diga-se de passagem, também são pessoas.

Em segundo lugar vimos que a 27 de Dezembro de 2008 o governo terrorista de Israel (não encontro outro adjectivo para o dito governo mas, reparem, falo do governo e não do povo) desencadeou uma guerra total contra o povo palestino da Faixa de Gaza, a qual se está a traduzir num ignóbil massacre e numa catástrofe humanitária sem precedentes. Configura um crime contra um povo, contra todos nós, contra a Humanidade.

Ouvimos dizer que a Faixa de Gaza entrou em guerra, mas aquilo a que assistimos não é uma guerra. É um cerco seguido de massacre, um genocídio.

O governo de Israel, com a conivência do governo dos EUA e com as cabecinhas dos governos da União Europeia enterradas na areia, fez da Faixa de Gaza a maior prisão a céu aberto do Mundo: aquelas pessoas, aquela gente, aqueles seres humanos que ali sobrevivem em condições que poucos de nós conseguem, sequer, imaginar, não têm para onde fugir. Nesta agressão não há refugiados, porque não há refúgio possível.

Tenho um colega que diz que lhe faz lembrar aquilo a que se chama “caça de capoeira”. Na capoeira bem fechadinha e cheia de galinhas entra o caçador e desata aos tiros para todos os lados. E entra de tanques de guerra, de aviões, obuses… alguém chamaria a isto “desproporção”!

Esta manhã li que os “danos colaterais” (que expressão tão hipócrita!) rondavam as 800 vítimas mortais, um terço das quais crianças.

Há uns dias as agências noticiosas divulgavam a notícia do bombardeamento pela força aérea israelita duma escola da ONU em Gaza. Pelo menos 40 mortos e um número indeterminado de feridos provocados pelos estilhaços das granadas utilizadas no bombardeamento.

Não podemos ignorar. Mas o que eu queria mesmo compreender era se também a ONU estava a esconder armamento na sua escola, como o Hamas alegadamente o tem feito em escolas, hospitais e mesquitas. E gostaria também que me explicassem se as dezenas de civis refugiados nessa escola estariam a ser utilizados como “escudos humanos”, agora pela ONU.

Sim, já ouvi dizer que os combatentes do Hamas se misturam com a população civil. Mas creio que no campo de concentração mais populoso do mundo tal é inevitável.

Nasci depois dessa outra gigantesca atrocidade que foi a Segunda Grande Guerra, mas ouvi muitas vezes o meu pai contar que os combatentes judeus se misturavam com a população civil do Ghetto de Varsóvia. Dizia-me o meu pai que era por uma boa causa, o que não discuto, até porque concordo.

O que me resta compreender é porque é que os descendentes dos sobreviventes do Ghetto de Varsóvia e das vítimas de Auschwitz-Birkenau ou de Treblinka não gritem bem alto que “nunca mais!”.

Pois é. Os combatentes palestinos em Gaza misturam-se com o povo. Resta saber se a independência e a soberania de um país no seu próprio território não será igualmente uma boa causa. Aliás, parece-me fácil compreender que no campo de concentração mais densamente povoado do mundo os combatentes palestinos não teriam mais nenhum nenhum lugar para onde ir, senão para o meio do povo.

A verdade, nua e crua, é que toda a população civil de Gaza é alvo de genocídio comandado pelo governo de Israel, e se nós enterrarmos a cabeça na areia quem é que vai gritar “nunca mais!”?

Ghetto de Varsóvia nunca mais! Auschwitz-Birkenau nunca mais! Treblinka nunca mais!

E ainda por cima a solução existe, não é preciso inventar nada de novo.

É assim: que se cumpram escrupulosamente as resoluções das Nações Unidas sobre o Médio Oriente, que se levante o bloqueio a Gaza, que se ponha fim à ocupação, que se libertem os milhares de presos palestinos, que se desmantelem os colonatos, que se remova o muro de separação, que se estabeleça o Estado da Palestina com Jerusalém Leste como capital e que se deixem regressar os refugiados palestinos.

Pôr em prática a solução significará o fim do genocídio, até o fim dos “rockets” artesanais sobre cidades israelitas, uma paz justa e duradoura no Médio Oriente. Por isso não podemos ignorar. Para que “nunca mais!”.

30 comentários até agora


Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\comments.php on line 142

30 Comentários para “GAZA”

  1. naoqueroa 09 Jan 2009 as 16:04

    Vamos supor, por um momento, que o objectivo dos combatentes palestinianos não é ter o seu estado próprio, e sim destruir um outro estado

    Vamos supor, por um momento, que para atingir esse objectivo, não se importam de colocar em risco os civis, mulheres e crianças incluidos, usando-os como escudo humano.

    Vamos supor, por um momento, que aos paises árabes da zona lhes agrada mais uma situação de guerra face a Israel do que apoiar um estado palestiniano.

    Onde se coloca a linha de demarcação do direito à auto-defesa?

    Concordo porém e inteiramente com o último parágrafo, cumprir as resoluções das Nações Unidas, incluindo o direito do Estado de Israel à sua existência, que é precisamente o que o Estado Palestiniano (e mais alguns) não está disposto a aceitar.

  2. Luis Serpaa 09 Jan 2009 as 17:16

    Caro Luis Vicente,

    O seu post deixou-me fascinado; venho agardecer-lho, e felicitá-lo: conseguiu levar a semântica a patamares lunares, desculpe-me a rima involuntária; ou mais longe ainda: chamar “terrorista” ao governo isaraelita demonstra, caro Luis Vicente, uma desconcertante capacidade de brincar com as palavras, de as esvaziar do seu sentido original que acho, sinceramente, invejável. Não está ao alcance de qualquer um.

    E “alegadamente”? E “massacre”? E “genocídio”? – Tudo demonstrações desse ímpar talento. Repare: está mais do que provado que o Hamas usa civis, crianças, hospitais, escolas, ambulâncias; foi mesmo, inclusivamente, aceite por eles (dizem que ser mais fracos militarmente lhes dá esse direito). Mas o Luis Vicente, diz que só alegadamente eles o fazem. Alegadamente. Que palavra tão bonita, com este novo sentido que o Luis Vicente lhe dá: deve querer dizer “justificadamente”, não é?

    Claro, todos nós sabemos, que se o Hamas tivese armas mais precisas e eficazes não as utilizaria contra Israel. Credo! nem pensar. Aliás, caso o fizesse teria uma explicação justa e legítima: “em Israel não há civis, porque todos os israelitas fazem a tropa” (sic, verbatim). E como todos os habitantes de Israel fazem, fizeram ou vão fazer a tropa (excepto os objectores de consciência, claro, mas isso é outra história) podem levar com uma quantidade de rockets em cima porque não faz mal. Os militares não são pessoas, e os civis que já foram ou serão militares tão-pouco o são.

    A sociedade que o Hamas implantou em Gaza é, é do conhecimento geral, uma sociedade justa, democrática, onde homens e mulheres gozam dos mesmos direitos, onde os homosexuais são livres, onde as punições são humanas e suaves (nada de sharia, que barbaridade!). O salto na qualidade de vida dos Israelitas e Palestinianos seria incomensurável, se o Hamas conseguisse acabar com Israel, e governar o resto da Palestina, não acha? Eu estou ansioso por ver a sua admirável criatividade com a linguagem se por acaso o Luis Vicente tivesse de viver numa sociedade assim.

    Bravo, e parabéns, uma vez mais: num só post deu uma admirável lição de semântica, e de cegueira. Obrigado!

  3. Egas Salgueiroa 09 Jan 2009 as 17:27

    Sobre a solução proposta, lembro apenas que todos os pontos foram aceites pelo Governo israelita nas negociações de Camp David no final da presidência Clinton, apenas com condicionantes ao regresso dos refugiados.
    Foi Yasser Arafat que se recusou a assinar a paz sem a garantia de regresso incondicional de todos os refugiados palestinianos às aldeias de origem dentro de Israel. E recusou pela pressão do Hamas, que não aceitava uma solução que reconhecesse o direito de Israel à existência, como até hoje ainda não reconheceu.
    Os palestinianos (e antes deles os estados árabes vizinhos) têm tido o condão, desde 1947, de rejeitar soluções quando lhes são propostas e possíveis, para as querer aceitar quando já não estão em cima da mesa, nem são viáveis. Os líderes palestinianos (e árabes) têm sido os melhores aliados dos israelitas mais radicais, mantendo um estado de guerra que permitiu a Israel duplicar a sua área original, garantir de facto que Jerusalem será a sua capital e ir expandindo os colonatos na Cisjordânia.
    Quanto à tragédia que decorre em Gaza, e não querendo desculpar ninguém, direi apenas que a realidade histórica é demasiado complexa para que façamos julgamentos sobre quem são os bons e quem são os maus da forma simplista como o faz.

  4. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 09 Jan 2009 as 19:09

    Tenho seguido este blog desde a sua criação e tenho-me habituado a ler aqui textos ponderados, racionais, objectivos. Este que ora comento é uma excepção àquela que tem sido a linha deste espaço. É um texto emocional, escrito a quente, tendencioso e muito pouco objectivo ao fazer tábua rasa dos factos duma questão extremamente complexa. Incidentalmente o que o blogger propõe significará também o fim do estado Israelita que é, aliás, o que muitos desejam.

    Achei curioso no texto original não haver a mais breve alusão a vários aspectos de entre os quais apresento os pontos abaixo a titulo de exemplo:

    1 – Israel tem desde a sua criação vizinhos que ameaçam destrui-lo, dizem-no alto e em bom som e já o invadiram no passado;
    2 – Cidades israelitas têm que suportar rockets lançados, ora da faixa de Gaza, ora do sul do Líbano sem que ninguém alguma vez tenha conseguido pôr cobro a isso;
    3 – Exceptuando dois países da região, nenhum outro país árabe reconhece a existência do estado hebraico. Por mera casualidade esses dois, Egipto e Jordânia, que o reconhecem, vivem em paz, têm relações normais com Israel e as suas populações não têm qualquer questão com Israel.
    4 – Israel é um país, o Hamas é um grupelho. E parece-me de particular mau gosto comparar o Hamas aos judeus que lutaram no gheto de Varsóvia. É que, mesmo que não outras, há uma diferença muito importante. Os judeus de Varsóvia estavam sozinhos, sem apoios de que espécie fosse do exterior e não tiveram quem lhes fornecesse armas. Tiveram que as arranjar e subtrair aos alemães por sua própria conta e risco. O Hamas, e não só, têm quem lhas forneça, os treine, os apoie, os defenda no exterior. Podia ter aludido a este pequeno pormenor que não é nada dispiciendo.
    5 – O próprio Egipto tem problemas sérios com o Hamas e não os querem por perto. Aliás, a tal “prisão a céu aberto” existe também porque mesmo as autoridades egípcias fecharam as suas fronteiras com Gaza pelo potencial de problemas que o Hamas representa.
    6 – A defesa que alguns países árabes fazem dos palestinianos é de interessante análise por ser a aplicação do adágio “Bem prega Frei Tomás”. É que a defende-los por palavras vejo. A acolhe-los nos seus países e a integra-los nas suas sociedades é que nunca se viu. Aliás, note-se como a Jordânia e o Líbano tratam os palestinianos que estão no seu território, controlando-lhes os movimentos, privando-os de uma nacionalidade, preterindo-os no acesso ao mais básico emprego.

    E poderia continuar. É fácil ser-se contra Israel. Afinal, é o mais forte militarmente, ainda que isto queira dizer muito pouco num cenário de guerrilha urbana como Gaza. Os palestinianos são pessoas? Sim, claro que são. Mas os israelitas também o são embora a vox populi tente fazer dos israelitas algo aparentado com seres inumanos.

  5. Fernando Vougaa 09 Jan 2009 as 22:55

    Caro Paulo M. da Conceição

    Não morro de amores pelos israelitas, mas também não morro de amores pelos palestinianos. Ambas as partes terão as suas razões de queixa e culpas no cartório. O que, mal comparado, quase que me coloca na situação a que se refere o ditado popular que diz que “entre marido e mulher…”
    O que me incomoda, para lá da guerra em si e das vítimas inocentes, é esta postura muito portuguesa de aderir às cegas à “verdade oficial” de meia dúzia de comentadores, alguns dos quais de muito baixo preço. E ai daqueles que se atrevam a remar contra essa maré.
    Nesses termos, quero felicitá-lo pela sua coragem.

  6. miguela 09 Jan 2009 as 23:30

    Luís Vicente, obrigado pelo texto que aqui deixaste. Pouco mais teria a fazer do que deixar este agradecimento não fossem as vozes enraivecidas que comentaram o teu texto. Um texto sentido, emocional, e como tal não é um bom texto, pois claro. Porque é um texto parcial, como se imparcialidade alguma existisse ou fosse possível perante o que vamos presenciando no médio oriente.

    Fácil é dizermo-nos imparciais, ponderados, censurar os dois lados do conflito. Fica sempre bem.

    Entre um estado que ocupou todo o território palestiniano, mesmo contra as resoluções da ONU, que tortura, mata, pilha, com o apoio das nações mais poderosas do mundo e um estado que se defende desde então dessa agressão, não hesito em escolher, porém. E, para aqueles que usam o Hamas para defender Israel, é sempre bom terem uma organização extremista em quem poderem expiar os ódios. Não fosse ela uma das muitas organizações financiadas e apoiadas pelo próprio estado israelita e parceiros para desacreditar a luta do povo palestiniano.

    Fácil é dizermo-nos imparciais, fica-nos bem. Iludindo facilmente que essa imparcialidade é assumir a posição do mais forte, mas não só mais forte, como agressor, como ocupante, como terrorista. Um Estado como o israelita que aplica a força fora do seu território e que usa o terrorismo como desculpa para esmagar e oprimir todo um povo, que usa uma organização como pretexto para violentar mais de um milhão de pobres, que se apodera dos recursos hídricos de outro povo, não merece imparcialidades nem compaixões. Da minha parte, mereceria no mínimo as mesmas pedras que aquelas crianças palestinianas atiram contra os seus tanques.

    Se alguém viesse um dia bombardear e destruir Portugal, violar as nossas mulheres, matar os nossos pais, prender e torturar os nossos filhos, destruir as nossas escolas e hospitais porque existia uma célula terrorista no nosso país, gostaria de saber que ponderação devíamos todos ter para que nos ficasse bem, a bem do desenvolvimento e da dignidade.

    Se em Portugal tivesse sido plantado um novo estado de gente perdida, acossada – e certamente os receberíamos – e ano sobre ano essa gente construísse a mais poderosa fortaleza no meio da nossa terra, se depois disso, iniciasse uma expansão pelo nosso território, impondo as suas próprias regras em chão alheio, usando os métodos nazis que lhes haviam no passado sido impostos, se em pouco mais de meio século, essa gente ocupasse mais de 90% do nosso solo e invadisse as nossas ruas com o seu exército, que ponderação mereceria? E como olhariam para os portugueses que, depois de perderem mãe e pai, depois de verem o marido ou a mulher desfeitos em casa pela humilhação, depois de verem impedirem o filho de ir à escola porque foi espancado no check-point, se juntassem desesperados à via do terrorismo?

    Mas não esqueçam que o povo palestiniano não cedeu a essa via. Essa foi a via estimulada pelos mesmo de sempre, financiada e apoiada pelos mesmos de sempre, como fizeram com mujaheedin e al-qaeda, como fizeram com centenas de células terroristas por todo o mundo, de nicarágua ao cambodja. Mas o povo palestiniano não é terrorista, embora pague com o seu próprio sangue essa fama que lhe querem dar. Mas reparem como o povo palestiniano não cedeu. Mesmo acicatado, hoje luta, enquanto o matam.

  7. Carlota Carvalhoa 09 Jan 2009 as 23:33

    Caro Luís Vicente,

    Gostei muito do seu comentário sobre Gaza.
    Nos dias de hoje é raro haver alguém tão bem informado sobre o que realmente se passa naquele exíguo território. A grande maioria das pessoas é alvo da campanha levada a cabo pelos media e que é tudo menos imparcial, isenta e objectiva. Infelizmente essa campanha faz com que as pessoas sejam insensíveis à morte de outros seres humanos que consideram de 2a. É o caso dos mortos palestinianos. Infelizmente, estes mortos e outros milhares assassínados no Iraque, Afeganistão às mãos de forças que se dizem de “libertadoras” (veja-se Guantanamo, Abu-Graib) valem menos do que os que morreram nas torres gémeas….infelizmente estamos num mundo onde as mortes diárias de crianças à fome valem menos do que as mortes dos israelitas.
    Mas voltando a Gaza que é um autêntico campo de concentração cercado por um muro da vergonha construído por Israel, dizia eu que a maioria das pessoas se limita a dizer o que houve nos media: veja-se o caso da maioria dos comentadores do seu texto….que tristeza…vejo que o sionismo está em força.
    Mas também não admira: com o pensamento único imposto pelos EUA (que são o bulldog de Israel)….
    Quando a Alemanha estava separada por um muro, os comentadores de “serviço” condenaram o acto. Os que o atravessaram eram conhecidos como “combatentes da liberdade”. Curiosa designação esta que também foi dada aos mudjaedines quando lutavam no Afeganistão contra o russos que lá estavam …mas quando os primeiros começaram a fazer a “guerra santa” aos EUA, aí passaram a ser chamados de “terroristas”. Já Saddam Hussein quando combateu o Irão com o apoio dos EUA aos quais podia comprar misseis e armas de destruição m. depois passou a ser um carniceiro….Estes “senhores” criam estes monstros que mais tarde se viram contra eles….e contra nós!
    A questão israelo-palestiniana é a mesmo história: um personagem inglês (Lord Balfourd) resolveu “dar” parte do território aos judeus e desde aí que tem sido o que todos conhecemos…
    Os israelitas têm tido uma posição de criação de colonatos e de ocupação sistemática do território, posição essa aliás consistentemente criticada em várias resoluções das NU. Eu acho que também não gostaria se viessem outros com a conversa de serem “o povo escolhido” ocupar a minha terra….
    Esta ideia de serem o “povo escolhido” está na origem de preconceitos contra os outros povos…que não são os “escolhidos”.
    O que se passa em Gaza torna claro que os israelitas não aprenderam nada com as atrocidades que se passaram nos campos de concentração da II Guerra Mundial. Se é verdade que o Hamas é fundamentalista, o “povo escolhido” não é o menos.
    E a propósito de Hamas, agora me recordo que o Luis Vicente nem sequer falou do Hamas no seu texto, mas apenas dos civis palestinianos….mas há aqui uns comentadores “de serviço” que, ao lerem o seu texto sabe-se lá porquê começaram a falar no Hamas……porque é que será que as pessoas não percebem que uma coisa é o Hamas e outra é a população palestiniana? Será que o facto de o Hamas existir torna os mortos civis palestinianos menos importantes?
    Caro Luís Vicente, PARABÉNS pelo texto.

  8. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 09 Jan 2009 as 23:44

    Caro Fernando Vouga, escolheu mal o alvo. Até porque o alvo praticamente nem Português é. E diz e escreve o mesmo há seguramente mais de 10 anos.

    Aliás, não percebi bem o seu comentário, sequer. É que a comunicação social em geral é pró-palestiniana e anti-israelita. Por via de regra os israelitas são apresentados como agressores. Como, aliás, escrevi no post original. Daqui que realmente não entenda a razão de ser do seu post.

    E, aliás, senão outras razões – que as há -, o mero facto de Israel ser um estado e e estado que é com as suas especificidades e o Hamas um ajuntamento de bandidos dir-me-ia muito.

    Não, caro Fernando Vouga, não preciso que pensem por mim. Graças a Deus.

  9. André Levya 09 Jan 2009 as 23:51

    O texto do Luís Vicente é compreensivelmente emocional, Paulo da Conceição. Enquanto escrevemos, há pessoas a serem mortas. É perfeitamente humano que se escreva sobre guerra de forma emocional, o que não impede de se tentar objectivo. E simultaneamente tomar partido. Contrariamente ao Fernando Vouga, que parece ler no ditado popular que não há escolha entre Dupont e Dupond, eu leio vejo nesse mesmo ditado duas partes de uma relação (matrimonial) historicamente desigual, como tem sido o caso entre o Estado de Israel e os exilados Palestinos. Há nesta relação um oprimido e um opressor histórico. Há um estado que não cumpre há décadas as Resoluções das NU, organização que lhe deu origem; e um povo privado do direito à soberania e autonomia, a liberdade de circulação no seu território, de acesso livre a recursos básicos como a água.

    Vejo que em alguns dos comentários tanto se fala na falta de precisão das armas caseiras, como no apoio logístico e militar estrangeiro ao Hamas. Mas para se falamos de precisão das armas, há que mencionar que não é a precisão militar nem a inteligência da Mossad que permite as IDF atingir apenas membros “terroristas” do Hamas e limitar as vítimas civis, como alega Israel. Como se distingue um “terrorista” do Hamas de um outro Palestino? Donde provêm a inteligência que famílias refugiadas numa escola gerida pela ONU são terroristas do Hamas? E se falamos de apoio estrangeiro, é inevitável referir que Israel é um dos principais beneficiários de apoio militar dos EUA. E que é um estado que apesar de comprovadamente ter armas nucleares, nunca o assumiu oficialmente, não assinou o Tratado de Não-Proliferação, e como tal nunca foi sujeito a inspecções da Agência Atómica Internacional.

    Por muito que o Estado de Israel o repita, esta operação não pode ser descrita como uma guerra ao Hamas, pois o Hamas não é o alvo. Este tipo de agressão militar não resulta contra um grupo como o Hamas (que não um “grupelho”, Paulo da Conceição) como demonstrou a tentativa de fragilizar o Hezbollah no Líbano. Estas não são organizações que se podem de forma simplista descrever como “terroristas”. Não são o equivalente a uma Jihad Islâmica ou um al-Qaeda, cujas agendas e programa assentam nos actos de terror. Tanto o Hamas como o Hezbollah são movimentos sociais, que sim têm a sua componente para-militar, mas que também são movimentos políticos, comunitários. Como tal não existem “células de terroristas”. O Hamas é uma parte da população, e na Faixa de Gaza, uma parte significativa da população, razão pela qual ganhou eleições. Vitória que Israel decidiu não reconhecer (embora a fundação do ex-Presidente Carter as tenha caracterizado como as mais legítimas do mundo árabe), passando antes criar maiores dificuldades à governação, e incentivando as divisões entre o Hamas e a Fatah, à semelhança de quando Israel incentivou a formação do Hamas para se opôr ao então principal “terrorista” a OLP. Não traço equivalência entre Palestino e Hamas, nem entre judeu Israelita e um sionista.

    É justo admitir que Israel tenha o direito a proteger os seus cidadãos (e quem o admite tem de admitir então também que o povo Palestino tem esse mesmo direito). Mas esta não é a forma de alcançar segurança na zona, tem é esse genuinamente o objectivo. Se alguns comentadores referem retórica do mundo árabe que fala na destruição do Estado (Judeu) de Israel, também é justo recordar a retórica de muito comandante militar e governante Israelita que fala dos Palestinos como de uma infestação de térmitas. Se o Hamas é referido como uma organização terrorista, porque alguns dos seus elementos enviam morteiros para dentro do território Israelita, também é muitíssimo justa o uso do termo “terrorismo” aplicado ao Estado de Israel, pelo terror diário, pela privação de liberdades e direitos, pelas condições sub-humanas a que tem sido sujeita a população da Faixa de Gaza, um dos territórios mais densamente povoados do mundo.

    Haverão dedos a apontar ao Hamas e ao Estado de Israel. Mas para quem deseje a paz entre estes povos, o que há que exigir primeiramente é o fim da agressão militar Israelita responsável por centenas de mortes inocentes, um respeito pelas resoluções das NU, um respeito pelas escolhas democráticas do povo Palestino, e a não ingerência de Israel na Autoridade Palestina. Como se pode aferir a capacidade qualquer organização Palestina de gerir os territórios, se nunca o puderam fazer sem ser sobre vigilância, controle de recursos e trânsito por Israel, sem a constante ameaça militar e roubo adicional de territórios, sem a presença de colonatos, etc.

    Por fim, as comparações feitas pelo Luís Vicente ao Holocausto e ao Ghetto de Varsóvia servem como apontamento das lições que os sionistas parecem não ter apreendido com a sua própria história. Há aspectos singulares do Holocausto. Mas há também muitos aspectos que permitem traçar analogias. E felizmente há judeus que apreenderam com a sua história, que são verdadeiros amantes da paz, que não desejam viver num Estado Judeu se for pela lei da bala. Judeus quer em Israel quer noutras partes do mundo que se manifestam contra este Governo Israelita, sionista, militarista, e as suas opções de chacina, sob o pretexto da protecção nacional, e invocando precedência bíblica sobre um território que já foi partilhado harmoniosamente por os povos agora em guerra.

  10. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 10 Jan 2009 as 0:25

    André Levy, gostei muito de ler o seu texto mas le-lo deixou-me várias questões. Devemos, portanto, deduzir que Israelitas e Palestinianos estão condenados a não mais ter paz? É que o tempo tem-nos demonstrado que nenhuma trégua ou paz vem sendo duradoura e que os grupos (concedo-lhe o não uso do termo pejorativo) que combatem Israel continuam a ser apoiados por países da região. E sem o fim desse apoio a paz é uma miragem. Parece-lhe viavel e possivel que o Irão reconheça o estado Israelita? E, claro, isto leva-me a uma outra questão decorrente do seu texto. Ora, o Hamas está no meio da população civil e uma parte da população civil – tenha ela a expressividade que tiver – pertence e apoia o Hamas. O Hamas usa Gaza para lançar rockets contra Israel, lançando-os aliás do centro de meios urbanos. Quererá isto tudo dizer que, por receio das baixas civis, Israel não pode defender-se? Que não tem alternativa senão habituar-se a conviver com este ataque contínuo?

    Concordo com muito do que diz, nomeadamente a não ingerência de Israel na autoridade palestiniana. Que, aliás, expandiria para não ingerencia de qualquer país junto de quaisquer das partes em conflito. Já quanto à questão do trânsito, tenho sido favoravel à construção dum tunel entre a Faixa de Gaza e a Cisjordânia por forma a permitir a ligação sem necessidade de atravessamento do território Israelita.

    Termino esta mensagem pelo ponto onde principiou a sua. A análise emocional. Tenho para mim que pensar questões complexas de forma emocional leva a que morra muito mais gente do que se o pensamento se abstrair dos mortos e se focar apenas na questão em si. Mas o raciocínio é diferente em cada um, claro.

  11. Carlota Carvalhoa 10 Jan 2009 as 0:29

    Sr. Paulo da Conceição,

    Diz o Sr. que “a comunicação social em geral é pró-palestiniana e anti-israelita”….

    Em que país/mundo é que você vive?!!??? Em Portugal não é seguramente….ou então, se o sr. acha que os media são pró-palestinianos deve ser de um sector político que é ferveroso apoiante de idiotices como o KKK, as SS, PIDE, etc…não?

    O senhor é o exemplo de como os “iluminados” acham que o “seu” pensamento é original mas apenas se limitam a soltar verborreias vindas dos comentadores “de serviço”. Não há paciência para tanta “independência”….

    Vá mas é ler as resoluções da NU sobre este conflito e já agora alguma coisa do tal personagem que eu referi há pouco (o Lord Balfourd). Depois de saber a história então poderemos conversar.

    Boa noite que se faz tarde.
    Caro Luís Vicente: CONTINUE! Precisamos dos que remam contra a maré porque infelizmente, nos nossos dias, o mundo é dos lambe-botas…

  12. André Barataa 10 Jan 2009 as 1:27

    Caro Luís Vicente,

    não sei bem como o comentar, mas preciso de dizer alguma coisa… não posso concordar com as suas comparações, nem com alguns dos seus juízos; ainda assim, compreendo a parte mais significativa do que diz (por exemplo, não é compreensível que na Cisjordânia onde a água é racionada, haja colonatos com piscinas, e isto li na National Geographic (!) há já um bom par de anos…. este é só um exemplo entre muitos outros que conhecerá por certo). Se me permite, e porque fez Gaza merecer alguma atenção neste espaço de discussão, proponho a leitura do texto que a repórter Alexandra Lucas Coelho escreveu no Público não há muitos dias. O endereço é: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1355029. Tenho recomendado a leitura do texto da Alexandra a torto e a direito quase por dever de consciência porque, apesar de emotivo, sinto que por ele não somos conduzidos para uma espiral de violência que era já tempo de deter.

    Tenho um comentário suplementar que não visa o que diz, mas o que se ouve dizer. A meu ver, o pior que pôde acontecer ao povo palestiniano é ter sido joguete de outros causas. Só ajudaremos à resolução do problema do povo palestiniano quando houver lucidez de análise para centrar a atenção na tragédia humana e a coragem prática para não permitir desvios interessados noutras razões e noutras causas. Até por respeito ao povo da Palestina. Só assim, a comunidade internacional pode ganhar autoridade para dizer que se pare a barbárie.

  13. Luis Serpaa 10 Jan 2009 as 3:48

    Caro André Barata,

    Li o texto da Alexandra Lucas Coelho no dia em que saiu do Público, e a minha primeira reacção foi: um texto bonito com o qual não concordo de todo. Nem com uma vírgula, escrevi algures.

    É muito bonito, e muito coiso e muito sentido. Infelizmente sofre de uma parcialidade de base – parte do princípio que os mais fracos, porque são mais fracos, têm razão. Não é, infelizmente, verdade.

    Mas numa época em que o Zeitgeist está, infalivelmente, a favor dos fracos, é incontestável. Isto é: não se pode contestar. Dizer: não é por ser mais fraco que alguém tem razão – ou: a razão é independente da força – exige uma abordagem menos dans l’air du temps. E isso é difícil de pedir. Pense sempre numa coisa: se tivesse que escolher, preferirias viver numa sociedade como a israelita, ou numa controlada pelo Hamas?

  14. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 10 Jan 2009 as 5:26

    Cara Carlota Carvalho, não apenas conheço a história desde a Declaração Balfour (e não Balfourd), ao tempo Foreign Secretary do governo Britânico, como o que levou a isso desde a idade média e até finais do século XIX. Tal como o seu contexto que levou a que o governo de Sua Majestade, em plena Grande Guerra a assinasse e a entregasse a Lord Rotschild.

    Depois disso várias coisas aconteceram, a migração judaica para a Palestina ao longo das primeiras décadas do século XX e o que era a Palestina antes e depois da chegada destes migrantes, o mandato Britânico e subsequente luta contra este por parte dos judeus, a aprovação do novo estado pela ONU em 1947 e a sua criação em 1948 logo seguida pela invasão do novo país por alguns países árabes, a guerra dos Seis Dias em 1967, a do Yom Kippur em 1973, os acordos de Camp David em 1978 que trouxeram a paz com o Egipto, os eventos do Sul do Líbano no início dos anos 80, a paz com a Jordânia em meados dos 1990s, a retirada de Israel da Faixa de Gaza e da Cisjordania em 2005 com desmantelamento dos colonatos, e muitos mais momentos históricos importantes. Isto sem descurar o que se foi passando nos intervalos com pequenas escaramuças aqui e ali com os vizinhos (com o Egipto e a Jordânia terminaram com a paz com estes dois países) que constituiram um contínuo acosso a Israel, nos tempos mais recentes por parte do Hamas e do Hezbollah.

    Houve alturas em que Israel esteve mal, como, por exemplo, em 2000 com a visita provocatória – pelas palavras usadas – que Ariel Sharon fez ao Monte do Tempo ou mais recentemente com as sanções ao Hamas na sequencia das eleições na Autoridade Palestiniana. Neste último caso as sanções foram de Israel e do quarteto de observadores, incluindo a ONU e a União Europeia. Compreende-se porém pelo medo que o Hamas inspirava e que veio a justificar-se dado haver uma facção do Hamas que aceitou governar e outra que preferiu continuar a luta com os resultados que agora se vêem.

    Tal como faz parte da história que tanto com o Egipto como com a Jordânia existe hoje em dia paz verdadeira, relações normais de vizinhança entre estados. Porque estes estados simplesmente reconheceram Israel e as suas fronteiras tendo ambos ganho terreno (ou direitos sobre terreno) na sequência da paz assinada com Israel.

    Falando em resoluções da ONU, leu-as? É que idealmente vai-se beber às fontes e ler o texto das resoluções. Convém começar por distinguir as resoluções da Assembleia Geral das resoluções do Conselho de Segurança. As primeiras não são vinculativas, as segundas são-no. Olhe, falemos por exemplo numa resolução da ONU que é da praxe brandir como exemplo de resolução não cumprida por Israel, a do retorno. Por acaso essa resolução, tomada em 1948 pela AG da ONU nem sequer é vinculativa. E, por outro lado, tem no seu próprio texto elementos que permitem substituir o retorno por compensações em dinheiro, além de não impôr uma data para a sua concretização, usando a expressão “earliest possible date” no meio de alusões a paz e boa vizinhança que ainda hoje manifestamente não existem.

    Uma outra que é costume falar-se é a resolução do Conselho de Segurança (esta sim, vinculativa) sobre a devolução dos Montes Golã (capturados em 1967 na sequência da Guerra dos Seis Dias) à Síria. Convém é ser honesto e contar a história toda. É que a resolução prevê essa devolução em troca do reconhecimento pela Síria e pelo Líbano das fronteiras de Israel e garantias de segurança. Se a Síria e o Líbano nem reconhecem a existência de Israel, muito menos lhe reconhecem as fronteiras e menos ainda dão quaisquer garantias de segurança como nunca fizeram. Portanto Israel mantem-se nos Montes Golan. Tudo isto agravado pela situação específica da área em disputa, uma esplanada elevada sobre território israelita com enorme valia estratégica em caso de guerra.

    A questão Israelita é extremamente complexa e, permita-me a ousadia, quem quiser conhece-la se calhar deverá ser prudente e conhecer a história, os factos, as pessoas, os momentos em que as coisas ocorreram e o seu contexto o mais próximo possivel das fontes quando não delas mesmo do que tentar ter uma ideia a partir da comunicação social. E, para perceber o que está a acontecer neste momento há que recuar, pelo menos, pelo menos, a 1982 e aos eventos do Sul do Líbano pela génese que são do conflito com o Hezbollah e o seu mimetismo ocorrido posteriormente na criação e desenvolvimento do Hamas. Idealmente ir-se-á mais atrás e à criação do estado judaico e tudo o que daí se seguiu.

    O seguro morreu de velho mas a prudência foi ao enterro.

  15. Carlota Carvalhoa 10 Jan 2009 as 12:19

    Exmo. Sr. Paulo Monteiro da Conceição,

    Quanto mais não seja, o meu comentário teve a positiva consequência de estimular o estudo da história da Palestina e territórios e redor.
    Sugiro que começe pelos Cananeus, etc, os verdadeiros “nativos” (dos quais descendem os actuais palestinianos) do território hoje ocupado pelos israelitas.

    Esta frase feita de que se trata de um “problema complexo” é interessante: quando populações civis estão a ser MASSACRADAS dentro de um “campo de concentração” vamos todos debruçar-nos sobre a “complexidade” do problema…e quando acabarmos, morreram mais uns milhares.

    Independentemente dos argumentos utilizados por ambos os lados, há algo que para mim – e para o Sr. Luis Vicente – é claro: ninguém tem o direito de cercar um outro país com um MURO, impedir que os seus cidadãos se desloquem livremente e condicionem a sua vida, e bombardear esse mesmo país para apanhar os terroristas do Hamas causando milhares de vítimas inocentes….
    MAS AFINAL QUE CRITÉRIO É ESSE QUE DEFENDE QUE OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS (e que pelo meio há “danos colaterais” como a vida de civis, entre os quais mulheres e crianças)?
    Isso é pensar como os terroristas das torres gémeas e dizer que tudo justifica atacar civis!
    Ah…já me esquecia que os civis palestinianos valem menos que os israelitas ou norte americanos.

    Sr. Paulo Monteiro: ainda que o senhor não concorde, a VIDA é um valor universal e não pode haver discriminação no direito à mesma só por causa da nacionalidade (ou outras características como a étnia, génro, idade etc.).

    Se fosse um familiar seu apanhado pelos bombardeamentos “cirúrgicos” de Israel de certeza que a palavra “dano colateral” lhe pareceria idiota…ou não?

    Cumprimentos e shalom!
    Pela PAZ e contra a morte de civis inocentes!

  16. Carlota Carvalhoa 10 Jan 2009 as 14:47

    Porque é que Israel nunca assinou a Declaração Universal dos Direitos Humanos? Alguém me sabe contextualizar este acto?
    Obrigada.

  17. Fernando Vougaa 10 Jan 2009 as 18:42

    Caro Paulo da Conceição

    Peço-lhe deculpa, porque não me fiz entender. As minhas felicitações eram sinceras, não estava a fazer humor. Porque o meu amigo (se me permite o termo) teve a coragem de escrever contra a tendência daquilo a que chamo “verdade oficial”. Que, em meu entender, é tendenciosa.
    Estou plenamente de acordo consigo quando diz: “É que a comunicação social em geral é pró-palestiniana e anti-israelita.”

  18. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 10 Jan 2009 as 19:24

    Mas será que a Sra. Carlota Carvalho acha que quem conhece a história e a fundo chega às mesmas conclusões às quais a senhora chegou? Ou, pelo inverso, acha que todos os que concluem o oposto são uns ignorantes além de todo o rosário de insultos que já discorreu nos seus comentários?

    Adiante. Se lhe parece que quem aceita a guerra é inimigo da vida humana desengane-se. Os pacifistas fanáticos têm sido ao longo dos séculos os maiores inimigos da vida humana como é o caso aqui. É que, precisamente o debruçar-se sobre os mortos do momento e não sobre o problema em si, como tão desdenhosamente disse, é que tem levado – e não só neste caso – a que os conflitos parem no momento por via de pressões diplomáticas e sociais várias, ficando num limbo, para se reacenderem tempos depois com nova perda de vidas. E andamos nisto anos e anos a fio com uma sucessão de paz podre e guerra que acaba por causar muitos mais mortos, feridos, extropiados, familias destruídas, gerações perdidas, do que deixar a guerra rolar e seguir o seu rumo enquanto os dois contendores entenderem que ela é aplicavel. Parará de forma segura e com alicerces seguros quando for o tempo dela parar, seja por vitória militar, seja por meio de negociações. Deixar a guerra rolar não é, naturalmente, impeditivo de negociações de paz em paralelo com o decorrer do conflito, levadas a cabo pelos beligerantes, com mediação onde necessário – e mediação significa isso mesmo, não é sinónimo de imposição – mas essencialmente deixando ambos alcançar a paz ao seu ritmo de forma a ficarem os assuntos resolvidos de forma duradoura. Só uma paz duradoura e firme permitirá que as gerações seguintes não sejam devastadas como as actuais estão a ser.

    De qualquer forma não deixo de notar uma coisa interessante em tudo isto. Neste momento anda meio mundo preocupadissimo com os palestinianos que morrem. Todavia só nestas alturas porque quando não há imagens na televisão ninguém quer saber dos palestinianos para nada e de preferencia quer-se te-los longe da vista como até os países da região fazem. Mas quando o Hamas lançava as suas armas contra Israel, do meio da população civil, arriscando precisamente o que está a suceder agora, ninguém fez absolutamente nada para parar o Hamas. A corda vai-se esticando, vai-se esticando, vai-se esticando. Até ao dia em que parte, naturalmente. Depois quando parte é o que se vê.

    Caro Fernando Vouga, os meus perdões porque efectivamente entendi o oposto daquilo que quis dizer. Tenho a agradecer-lhe esta última mensagem e o que ela significa. Obrigado pela simpatia. :-)

  19. Carlota Carvalhoa 10 Jan 2009 as 21:36

    Exmo. Sr. Paulo Conceição,

    Lamento se se considerou insultado. Refere o “rosário de insultos” que já discorri nos meus comentários…..nao vejo a expressão de uma opinião como um “rosário de insultos”.

    O seu último comentário deixou a sua posição claríssima. Escreve V. Exa.:

    “É que, precisamente o debruçar-se sobre os mortos do momento e não sobre o problema em si, como tão desdenhosamente disse, é que tem levado – e não só neste caso – a que os conflitos parem no momento por via de pressões diplomáticas e sociais várias, ficando num limbo, para se reacenderem tempos depois com nova perda de vidas.”

    Pois é, matem-nos todos….assim deixa de haver guerra de uma vez, não é? Afinal era só o que mais faltava que o conflito tivesse que parar por pressões diplomáticas e que os palestinianos se “safassem” mais uma vez. É melhor “deixar a guerra rolar” como diz V. Ex. grande iluminado.

    A dada altura refere que “Só uma paz duradoura e firme permitirá que as gerações seguintes não sejam devastadas como as actuais estão a ser”..parece-me um pouco contraditório…é que se a guerra “rolar” como refere V. Exa., NÃO vai haver gerações seguintes….e se houver, não me parece que gostem muito dos israelitas face às centenas de mortos que já existem e onde, infelizmente já se contam quase 300 CRIANÇAS! (mas devem ser do Hamas).

    Pacifismo fanático?!? Com muito gosto, pela paz e contra a guerra (seja ela do Hamas ou dos israelitas).
    É por causa de pessoas como o senhor (militaristas fanáticos?) é que o mundo está como está….
    Com toda a consideração que o Sr. Paulo Conceição merece, resta-me dizer “no comments”.

    Caro Luís Vicente: os meus mais sinceros parabéns.

  20. Luis Serpaa 10 Jan 2009 as 22:16

    Caro Paulo Monteiro da Conceição,

    Partilho inteiramente as felicitações de Fernando Vouga. Imagino o que aí vem, depois deste seu último comentário. É uma coisa que me intriga nos ocidentais anti-Israel: de onde vem tanta fúria, tanta raiva? O pacifismo (que a mim me parece, pior do que fanático, beato no pior sentido do termo) e a ignorância não explicam tudo por muito bonitos que sejam depois os textos a explicar que não, não são anti-semitas.

    Enfim, não sei. Mas sei que é agradável ver alguma lucidez e conhecimento no debate.

  21. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 11 Jan 2009 as 0:50

    Antes de mais, neste post, quero desculpar-me com os donos do blog pelos contornos de quase chat que estes comentários estão a levar mas a conversa é como as cerejas e vai progredindo ao seu ritmo. Tentarei não me alongar excessivamente.

    Posto isto, sigamos com umas poucas linhas.

    Senhora Carlota, quantos conflitos conhece na história da humanidade que tenham levado à extinção completa dum povo? Portanto a questão de todos os palestinianos morrerem não se coloca. Parece-me porém que não percebeu o que eu disse no meu comentário. O que eu disse foi que, se duma guerra sair a paz desejada ou possivel pelos dois contendores, essa paz é duradoura e não se perdem mais vidas depois. Durante o decorrer da guerra perdem-se efectivamente mais do que sendo esta parada artificialmente por pressões externas. Todavia, e como é uma paz artificial, os confrontos continuam, eventualmente a guerra recomeça mais tarde e mais vidas se perderão. Se em vez desta sucessão de períodos de guerra e paz ao longo de décadas tivermos uma guerra que termina ou pela via diplomática por vontade de ambos os beligerantes ou pela vitoria militar que leva a um acordo de paz, é muito certo que nessa guerra morre mais gente do que em cada um dos conflitos parados artificialmente. Mas morrem muito menos do que na sucessão de conflitos que perduram nos anos como vem acontecendo na questão Israelita. Pelo menos que as vidas perdidas sirvam para evitar a perda de muitas mais a seguir. Os mortos, de mortos não passam portanto já nada podemos fazer por eles. Preocupemo-nos então em proteger a vida dos que estão vivos e dos que ainda estão por nascer. Não nos foquemos no presente, no imediato. Pensemos a prazo. O mundo não começou nem termina em nós. Há gerações antes de nós, haverá gerações a seguir a nós.

    Por fim, sabe, invejo-a, senhora Carlota. Invejo quem ainda consegue acreditar no mundo perfeito, sem conflitos, tensões, atritos e guerras. Invejo quem consegue supôr e acreditar – sem a mais pequena ironia que seja aqui – que basta carregar num botão para existir a paz, a verdadeira paz. Um URRAAHH a si, minha senhora.

    Luís Serpa, muito obrigado pelas palavras que teve a amabilidade de me dirigir. Devo dizer que também apreciei muito o seu texto original e a lição que nos deu a todos, de forma levezinha, sobre o significado das palavras e do seu uso correcto num texto sem ser necessário recorrer ao exagero para se apresentar uma posição.

    O pacifismo é uma corrente particularmente curiosa e, sinceramente, é algo que também me faz alguma confusão dado ser tão desfazada da realidade da natureza humana, algo tão limitado e simplificante na análise que faz das situações, muitas delas complexas, tão limitado no tempo, detendo-se no imediato sem preocupações de futuro e sobretudo de qualidade do futuro. Note que não duvido de que os pacifistas, os verdadeiros pacifistas, acreditam realmente naquilo que defendem. É uma posição de bondade voluntarista que, como todos os voluntarismos, é normal causar mais prejuízos do que benefícios. Mas existe, é uma realidade e temos que conviver com ela. A 2ª Guerra ocorreu por causa dos pacifistas e, parece-me, estamos neste momento a viver situação semelhante àquela vivida nos anos 30, neste momento relativamente ao Irão. Oxalá eu esteja enganado.

    Muito raras vezes consegui perceber no texto daqueles que atacam Israel, por vezes de forma totalmente cega, se o fazem por pacifismo se por anti-semitismo. Também não sei embora seja algo que observo e gostasse de algures ao longo da vida chegar a uma conclusão sobre o assunto.

  22. André Barataa 11 Jan 2009 as 1:45

    Caro Luís Serpa,

    Desculpe a demora em lhe responder… estes nevões…
    Vou por partes.

    1. Ter razão apenas porque se é mais fraco faz tão pouco sentido como ter razão apenas porque se é mais forte. Escolher a persuasão pela fraqueza, tal como pela força, é escolher desistir da persuasão racional. Depois dessa escolha, a lógica que se segue é previsível: Os fortes impõem as suas “razões” a não ser que os fracos, sendo vítimas, motivem outros, ainda mais fortes, a deter os agressores. E disto não saímos. Creio que com isto estou a concordar com uma importante ideia do comentário que me dirigiu. Mas, pergunto-lhe eu agora, que lhe importa a si saber quem tem razão quando tem gente a morrer? A mim nada.

    2. O texto da ALC merecia-lhe uma segunda leitura porque, se vir bem, parcialidade é justamente o que nele não encontra. A única “parcialidade” é para com a humanidade que nos mereceria gente esfrangalhada; mas isso não é sermos parciais, é sermos verdadeiros quanto ao desespero de populações. Lamentalmente, muitas opiniões aqui expostas, como por toda a parte, parecendo cópia do que ouço há 10 e 20 anos, sem nada resolver, como nada resolveram no passado, apenas vêm incendeiar a discussão. Parece que para alguns o mais importante não é tanto resolver o conflito, mas participar nele, ainda que só assim, dizendo coisas…

    3. Mas uma coisa é certa, não vejo interesse nenhum em incendiar a discussão. Para mim, a questão relevante é só uma: como obter um cessar fogo no mais breve prazo?

    4. Respondendo, finalmente, à sua pergunta, as razões que me levam a assumir que só forçado viveria sob o “controlo” do Hamas são exactamente as mesmas razões que me levam a exigir muito mais do governo israelita. Creia que desejo muito não estar errado. Do Hamas espero pouco; até os palestinianos não esperam muito.

  23. Luis Vicentea 11 Jan 2009 as 9:35

    Muita polémica gerou o meu post sobre Gaza. Enquanto ela dura continua o massacre em Gaza. Em relação à polémica tenho-me mantido em silêncio sereno e acompanhado todos os comentários, mas a leitura de alguns suscitou a minha indignação.
    Gostaria que o Sr. Paulo Conceição percebesse que o que se passa em Gaza não é uma guerra. Muito longe disso. É um massacre, um genocídio, um crime contra a humanidade perpetrado pelo governo de Israel e pelos seus cúmplices. E não confunda o governo de Israel com os israelitas, o governo de Hitler com o povo alemão, o governo de Bush com o povo americano. Se há coisa que me faz reagir são aquelas frases que começam com “os americanos…”). Mas, voltando à guerra. Como é estranha uma “guerra” em que o “agressor”, os palestinos, têm 100 vezes mais baixas que os “agredidos”. Não, aquilo a que assistimos hoje é um combate entre David (os palestinos com roquetes, armas ligeiras e fundas com pedras…) e Golias (o exército de Israel com mísseis teleguiados, aviões, tanques e se necessário…a arma atómica!).
    Não sendo uma guerra, o que me parece óbvio, os argumentos do Sr. Paulo Conceição, mesmo que tivessem algum valor, perdê-lo-iam de imediato.
    Depois, essa acusação de “pacifismo fanático”. Tanto quanto conheço os pacifistas, e sou um deles, em geral sabem discernir. Por isso muitos dos que foram pacifistas em relação à Primeira Grande Guerra não o foram perante a monstruosidade que foi a agressão nazi aos povos do mundo (veja-se o exemplo clássico de Bertrand Russell). Também nenhuma pessoa de bem poderia ser honestamente pacifista perante (e vamos a um caso histórico para evitar grandes polémicas) a agressão da Invencível Armada a Inglaterra.
    Gaza, com bem menos de metade da superfície do Algarve e um 1.500.000 habitantes é, como já disse, a maior prisão a céu aberto do mundo. Vivam os “heróis” que bombardeiam com meios sofisticados os prisioneiros praticamente desarmados e sem fuga possível, à semelhança do que faziam os nazis com os judeus encarcerados no Ghetto de Varsóvia.
    Há momentos em que a nossa consciência nos proíbe o silêncio e o que está a decorrer em Gaza enquanto esta pacífica polémica prossegue neste blog, é um desses momentos. Inaceitável e intolerável é esta execrável chacina que as poderosíssimas forças armadas ao serviço do governo de Israel estão a executar em Gaza.
    É importante referir que o povo palestino é tão semita como os judeus sefarditas, e os que hoje estão prisioneiros no campo de concentração de Gaza são descendentes dos que fugiram espavoridos quando o então movimento “terrorista” Irgoun, liderado pelo seu chefe Menahem Beguin, futuro primeiro ministro e prémio Nobel da Paz, chacinou à arma branca todos os habitantes da aldeia palestina de Deir Hiassin. É algo que nenhuma pessoa de bem pode esquecer, assim como ninguém pode esquecer os massacres perpetrados pelos nazis no Ghetto de Varsóvia e nos campos de Treblinka ou Auschwitz. Foi este o acontecimento que levou à fuga massiva de dezenas e dezenas de milhares de palestinos para Gaza e Cisjordânia possibilitando, em conjugação com outros factores, a constituição do Estado de Israel.
    Mais. Muitos dos massacrados de hoje, a mando do governo anti-semita de Israel, são descendentes de judeus e cristãos que se islamisaram há séculos. Mas não são os responsáveis pelos massacres de que foram vítimas os judeus na Europa ao longo de séculos até à monstruosidade do holocausto nazi. Na realidade fomos nós, europeus, que o fizemos ou permitimos, por concordância, omissão ou cobardia. No entanto são os palestinos que há 60 anos pagam pelos os nossos erros e nós, a sempre concordante, acéfala e cobarde Europa enterra a cabeça na areia como se nada tivesse a ver com a tragédia, e os nosso governantes continuam, cobardemente, a culpabilizar os palestinos do Hamas “terrorista”. Mas também é bom recordar que o Hamas “terrorista” foi eleito democraticamente e logo marginalizado pelos governantes desta Europa sem princípios e sem memória que tinha exigido as eleições democráticas para imediatamente as rejeitar por os resultados não lhe darem jeito.
    E não esqueçamos que foi o governo de Israel que incentivou o Hamas (para não dizer criou), com o intuito de enfraquecer a FATAH de Arafat. Como frequentemente na História, o feitiço vira-se contra o feiticeiro.
    Por último há uma coisa de que ainda não se falou neste blog e que é importante referir para que não se veja Israel como um todo, para que não se tome o povo de Israel pelo governo do seu país. Tenho amigos israelitas em Israel, tenho amigos palestinos em Gaza, na Cisjordânia e nos territórios de Israel, tenho amigos palestinos bons amigos de amigos meus israelitas. Bom, e tenho notícias de amigos israelitas e palestinos em Israel de que milhares de cidadãos israelitas se manifestam nas ruas de Tel-Avive e de outras cidades em Israel contra o seu governo anti-semita e terrorista para que se ponha fim a este hediondo massacre. São estes que dignificam o seu povo e acreditam que o diálogo é possível e imprescindível como único caminho para o entendimento e a Paz. Mais, nas prisões israelitas há hoje milhares de jovens israelitas que preferem ser presos do que servir num exército de ocupação e opressão. São também eles que honram a sabedoria e o humanismo do povo judeu e testemunham a coragem dos judeus zelotas de Massada e dos resistentes do Ghetto de Varsóvia!

  24. Egas Salgueiroa 11 Jan 2009 as 15:09

    Tal como o conflito israelo-palestiniano, esta discussão parece não ter fim. E aqui também ambos os lados têm as suas razões.
    Aliás, é esse o problema: ambos os lados têm razões diferentes, ambos têm objectivos, até agora, irreconciliáveis. Israel pretende o direito à existência como Estado judeu, em fronteiras seguras (e quanto mais próximas do Grande Israel melhor); o Hamas (e até há poucos anos também a Fatah) quer a diluição dos territórios que constituem Israel num Estado Palestiniano multiétnico, multicultural e laico (??). Alguém tem de ceder!
    Embora eu considere que a Declaração Balfour e a criação de Israel foi um grave erro histórico, comprometendo as potências ocidentais com a génese de um Estado artificial, de base religiosa, e que inquinou gravemente o relacionamento entre as comunidades judaicas e muçulmanas por todo o mundo, a realidade actual é irreversível, sendo necessário encontrar uma solução que permita a Paz e o desenvolvimento daquela região.
    O Hamas, em vez de defender os interesses do povo palestiniano, tem defendido os interesses estratégicos dos islamitas radicais, iranianos e árabes. Se o Hamas defendesse os palestinianos não lançaria rockets sabendo que a retaliação é sempre mortífera.
    O exército israelita é culpado de chacinar civis? Provavelmente. Age desproporcionadamente face à ameaça do Hamas? Com certeza. Mas que alternativas tem Israel? Deixar os rockets continuarem a cair? Serem empurrados até ao mar, como propõe Amadinejad ( e perdoem se não sei escrever o nome do presidente iraniano)?
    A realidade nem sempre é justa. No final da 2ª Guerra Mundial a Alemanha perdeu extenso territórios orientais, que lhe pertenciam há centenas de anos, que tinham sido a origem da Prússsia, e onde viviam milhões de alemães. Esses alemães foram expulsos pelo Exército Vermelho, massacrados pelo caminho, na maior limpeza étnica jamais feita na Europa. Mas a Alemanha fora a agressora e a derrotada da guerra. Aceitou a derrota, integrou os deslocados, indemnizou os agredidos, avançou para o futuro.
    Os países árabes vizinhos de Israel não aceitaram a decisão da ONU de criar Israel, atacaram o recém formado estado com a intenção de o destruir, incentivaram os palestinianos a sair de Israel. Mesmo depois de derrotados recusaram-se a reconhecer Israel, encerraram os refugiados palestinianos em autênticos campos de concentração no Líbano, na Cisjordânia e em Gaza, continuaram a ameaçar Israel.
    A solução para o conflito proposta em Camp David é equilibrada e devia ser aceite pelos palestinianos e israelitas. Não é justo que não possam voltar todos para as suas casas originais? É a única solução viável.
    Não concordo com tudo o que disse o Paulo Monteiro da Conceição. Mas continuar a discutir quem tem a culpa das mortes, quem é e quem não é (ou foi) terrorista, só contribui para alimentar o ódio e mais mortes. E não tenham dúvidas que, se não houver paz, 95% das mortes serão palestinianas.
    Discutam a Paz!

  25. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 11 Jan 2009 as 15:34

    Caro Luis Vicente, não me vou alongar na resposta ao seu post, limitando-me a pontos muito específicos.

    Sobre os pacifistas, quando a eles aludi relativamente à 2a Guerra referi-me àqueles que continuaram a defender uma não agressão contra a Alemanha ao longo de toda a década de 1930 enquanto a Alemanha se foi rearmando. Esses mesmos que diziam ser o diálogo a única saída, a despeito de todas as violações do tratado de paz e dos seus limites de armamento a que a Alemanha estava obrigada, preferiram fechar os olhos. Aqueles que sentiram como sua a frase de Neville Chamberlain, em 1938, “Peace on our time”, quando toda a realidade apontava para o contrário. Se não tivesse sido este pacifismo empedernido ter-se-iam tomado as posições necessárias contra a Alemanha em 1936, 1937 e nada do que sucedeu a seguir teria acontecido.

    No que toca às suas definições de massacre, genocídio, crime de guerra contra a humanidade, são suas, pessoais, portanto valem o que valem enquanto opinião pessoal. Não partilho, de todo, dessa postura e dessas qualificações, em absoluto que, aliás, nem sequer são aplicaveis se atendermos às próprias definições dos qualificativos que usou aceites pela ONU. Viu até agora Israel a bombardear indiscriminadamente? Viu algum bombardeamento em tapete na Faixa de Gaza? Já viu algum genocídio em que se avisa os supostos alvos a matar avisados da hora a que deviam sair de suas casas? Agora, em meio urbano e densamente povoado, lamento muito mas até hoje ninguém inventou a forma de, com uma carga explosiva com alguns kg, destruir apenas os metros quadros necessários a destruir o alvo militar em questão sem causar danos numa certa área em redor. A técnica tem evoluído no sentido de permitir bombardeios cada vez mais cirurgicos mas a precisão infalivel a 100% está ainda longe. Mas, repare, se não houvesse disparos de rockets contra Israel a partir do centro dos meios urbanos, nada disto teria acontecido. Porque não alude a isto também? Ao erro original de usar a população como escudo quando, ainda que muito povoada, ainda existem locais mais livres de gente na faixa de Gaza.

    Acho interessante a distinção que faz entre “governo israelita” e “israelitas” ou entre “palestinianos” e “Hamas”. Gostaria, porém, que contextualizasse a sua posição e a suportasse com números. É que, da forma como escreveu o seu post dá a entender que existe um total divórcio entre governantes e governados e que o governo israelita está a tomar esta acção ao total arrepio da vontade dos seus cidadãos. O que, como sabe, não corresponde nem de perto nem de longe à verdade e as sondagens dos últimos dias não o demonstram, de todo. Bem o contrário, mostram uma grande parte da população israelita solidária com estes eventos tal como as eleições de 2006 demonstraram a adesão maioritária dos palestinianos ao Hamas. Não que as questões de minorias e maiorias tenham algo a ver com isto dado que nem sempre as maiorias estão certas. Achei por bem, todavia, desmontar o argumento da separação total entre governantes e governados da forma como o pretendeu apresentar. Aliás, conseguiu chegar ao ponto de separar o povo alemão do governo de Hitler quando este tinha uma elevadissima percentagem de simpatia nos primeiros anos das suas funçoes – devido sobretudo à estabailização das condições económicas que destruiam de dia para dia a vida dos alemães – enquanto chanceler e manteve este apoio ainda durante alguns anos, mesmo já depois de começada a guerra. E, repare, Luis Vicente, isto são meros números. E dos números pouco podemos fugir.

  26. Rui Rosaa 11 Jan 2009 as 16:38

    O estado de Israel foi criado para acolher populações judias perseguidas e deslocadas em outros países, após o fim da Segunda Guerra Mundial, por desígnio do Reino Unido e com apoio das potencias vencedoras. Mas a sua criação era um objectivo que vinha do muito antes, desde finais do século XIX, colocado como solução para acolhimento das comunidades judias, ou excluídas e sem condições de vida ou violentadas e exiladas, em muitos países supostamente civilizados.
    A “solução” para o acolhimento foi a Palestina. Mas antes e após a Segunda Guerra Mundial outras hipóteses foram consideradas também – entre as quais Angola e Açores – porque a Palesina era um território já densamente povoado por populações autócnes.
    Não tinha de ser assim, mas a situação de facto é agora que os judeus imigrantes marginalizaram os autócnes, ocuparam as respectivas terras, obrigaram muitos à condição de exilados ou refugiados, e os que ficaram, expoliados e confinados. O instrumento deste processo foi o estado sionista de Israel, que excluiu o princípio da convivência entre populações que eram remotamente as mesmas, mas que haviam seguido percursos históricos diversos, ao longo dos quais receberam e assimilaram influências culturais também diversas.
    Não tem de ser assim. pois que há judeus e palestinos que, em várias partes do mundo e em Isreal também, defendem a paz estre judeus e palestinos, dentro do estado de Israel e na relação de Israel com o futuro estado da Palestina e outros estados Árabes.
    Pensar que poderia ser de outro modo. Que uma outra guerra poderia estar a acontecer agora, não na Palestina mas em Angola ou noutra parte do mundo onde Israel tivesse sido acolhido – com outras populações sendo perseguidas e vitamizadas por judeus sionistas.
    Não podemos simplificar o que é complexo. Mas podemos procurar a paz, porque rejeitamos a extorsão e a exploração de seres humanos, seja qual for a forma e a “razão”. Por causa das vítimas presentes e futuras. Porque as presentes atrocidades sobre os refugiados da Gaza irão alimentar futuras violências em Israel ou noutras partes do mundo, alimentando uma cultura de violencia e intolerância.
    O apelo de Luís Vicente é emocional porque a indignação é uma emoção; Luís Vicente racionaliza e explica, se não sempre quase sempre com boa fundamentação. Quem será capaz de explicar “tudo” em questão tão complexa e dolorosa? É um apelo à Paz. Por mim, um apelo à Paz é também um apelo à Razão.

  27. André Levya 11 Jan 2009 as 17:47

    O trilho de comentários à entrada do Luís Vicente sobre Gaza já vai longo, e deu origem a vários assuntos, que embora inter-ligados, são questões distintas: a actual agressão de Israel, a história fundação de Israel, o respeito pelas resoluções das NU, a natureza do Hamas, a analogia com o Holocausto e o Ghetto de Varsóvia, para só citar alguns. Tentarei abordar estes assuntos separadamente, pois embora estejam interligados, creio que prejudica o debate estar a misturar fios de debate, abordando um assunto com uma resposta a outro. Vejo que o Paulo da Conceição respeita o formato de um debate sério. A questão emocional, não sendo possível cancelar, pode procurar-se evitar que contagie a argumentação. Tentarei seguir também esse preceito de debate.

    1. Pergunta Paulo da Conceição (PC): “estão condenados a não mais ter paz Israelitas e Palestinianos?“ Quero acreditar que não. A história demonstra que estes povos foram capazes de conviver. Outros cenários demonstram como depois de décadas de opressão, o oprimido foi capaz de conviver com o opressor, com obstáculos e dificuldades naturais (veja-se o caso da África do Sul). Tem sido um processo muito difícil e moroso, com milhares de vítimas. A falta de reconhecimento do Estado de Israel por Estados Árabes criou um entrave durante décadas, mas este está na sua maior parte ultrapassado. A falta de reconhecimento por Israel de que havia que encontrar soluções pacíficas para a questão Palestina, inclusivamente reconhecendo organização Palestinas como parceiros de negociações, foi outro entrave. Estou convencido que qualquer solução a ser encontrada não será por via de agressões militares, terá que passar pelo reconhecimento das resoluções da NU por ambas as partes (e pela generalidade dos países Árabes, em particular os vizinhos de Israel), e pelo reconhecimento mútuo dos parceiros.

    2. Quanto à pergunta sobre se Israel tem direito a defender-se ou tem de “conviver com este ataque contínuo “. A pergunta pode colocar-se a ambas as partes. Não têm os Palestinos direito a defender-se, ou têm direito a conviver com a agressão multi-forme de Israel, e as limitações por este criado à realização de um estado Palestino independente e soberano. Este tipo de pergunta não vejo que leva a parte nenhuma, a menos que se aceite que existe um opressor e um oprimido, e nesse caso, na minha opinião, há um lado que merece o meu apoio. Neste sentido, há que assinalar que os líderes do Hamas deram sinais dispostos a reconhecer Israel nas fronteiras de 1967 – o líder do Hamas, o primeiro-ministro Ismail Haniya, afirmou ao Ha’aretz: “Se Israel se retirar para as fronteiras de 1967, a paz prevalecerá e iremos implementar um hudna por muitos anos.” Um Hudna é mais que cessar-fogo, é o equivalente na lei Islâmica a um tratado internacional, na terminologia moderna. Israel continua a caracterizar o movimento Hamas apenas como um organização terrorista, que não reconhece a vitória eleitoral do Hamas e agiu de forma a criar conflitos entre facções Palestinas. É Israel que sistematicamente desobedece as resoluções do Conselho de Segurança das NU e a moção da Assembleia Geral das NU exigindo o cumprimento das fronteiras de 1967, e que todos os anos recebe os votos a favor da maioria do mundo contra os votos de Israel, EUA, e alguns arquipélagos. E Israel desrespeita os próprios acordos que estabelece.

    3. Quanto ao historial da presente fase do conflito. O recente cessar-fogo, entre Israel e o Hamas, respeitado por ambas as partes durante alguns meses (entre 17 de Junho e 4 de Novembro) por exemplo, foi rompido quando Israel invadiu a Faixa de Gaza, a 4 de Novembro, e matou 5- 7 militantes Palestinos. Em retaliação deste ataque foram lançado morteiros sobre Israel. O Hamas deu sinais que retomaria o cessar fogo, se Israel levanta-se o bloqueio sobre a Faixa de Gaza. Bloqueio que foi intensificado no início de 2008, e que o ex-Presidente dos EUA Jimmy Carter caracterizou como uma atrocidade. O jornal Ha’aertz documentou que o Governo Israelita tinha já elaborado planos de ataque da Faixa de Gaza em Março, portanto antes do cessar-fogo, planos que agora está a por em prática, para aterrorizar os seus “inimigos” e porque houve sinais de que o Hamas estava disposto a aceitar um acordo diplomático com base nas fronteiras de 1967. Face desta “ofensiva pacífica” Israel sentiu que sentiu que haveria que avançar com o plano militar, e aproveitou a retaliação do Hamas em Novembro, reforçando primeiro o bloqueio à Faixa de Gaza, e por fim atacando e invadindo a Faixa de Gaza.

    4. Não me considero um pacifista, no sentido de ser sempre, por princípio e consciência, contra a guerra. Teria sido favorável à resposta militar aos Falangistas e aos Nazis. Como o PC afirma, durante um conflito militar é possível terem lugar conversações, mas haverá que concordar que quando a perspectiva é de continuação de agressão por uma das partes, sem um fim claro em vista, não é um momento favorável para negociações donde possam sair soluções douradoras. Quanto muito será possível chegar-se um novo cessar-fogo, mas quais as concessões que o Governo de Israel, perto das suas eleições, está pronto a conceder? Está disposto a aceitar as fronteiras de 1967? A parar o roubo e destruição de mais terrenos perpetuado durante a construção do muro junto à Cis-Jordânia? Está disposto a desmantelar os colonatos nos territórios Palestinos, e deixar de controlar as estradas construídas para alimentar esses colonatos, e que entre-cruzam os territórios Palestinos, impedido a sua livre circulação no seu próprio território. A Faixa de Gaza e a Cis-Jordânia são como que um conjunto de celas de prisão, dentro das quais os presos têm liberdade de fazer o que quiserem. Mas se querem sair da prisão, têm de esperar pela ordem do guarda. Se este decidir que não o preso deve ser punido, cortando-lhe a água e a comida, pode fazê-lo.

    5. PC coloca ainda pergunta “Viu até agora Israel a bombardear indiscriminadamente?“ Aqui refiro-me um caso que merece ser registado nos livros da história sangrenta deste conflito, e que me parece ilustrativo dos objectivos práticos de Israel e da retórica que usa para a cobrir. Uma escola mantida pelas NU, chamada Al Fakhura, em Jabaliya, para onde umas 280 famílias – 1.674 pessoas – foram procurar protecção. Usando morteiros a partir de um navio, Israel bombardeou a escola, alegando que o Hamas havia lançado morteiros a partir dessa escola. Quarenta e seis pessoas morreram na escola, e dezenas mais foram feridas, incluindo pessoas que se encontravam na vizinhança. Nos círculos diplomáticos, segundo um porta voz da missão das NU, Chrstopher Gunness, o exército Israel retraiu a anterior alegação, e admite que os morteiros foram lançados de fora do complexo escolar. As NU estão a apelar para um inquérito independente do bombardeamento da escola como possível crime de guerra. Bombardear uma escola, gerida pelas NU, acusando implicitamente a NU de albergar terroristas, não conta como bombardeiro indiscriminado?

    6. Por fim, um comentário sobre “números” e o apoio do povo de Israel à ofensiva militar. Não será nenhuma novidade para o PC que números são números, mas que está em como se chegam aos números que podem residir deturpações. Basta lembrar, num contexto inteiramente diferente, como basta alterar a forma de cálculo do índice de pobreza ou de desemprego, para milagrosamente se reduzir a pobreza ou o desemprego. São números, mas números também mentem. Deixando essa questão de lado, e até admitindo que a maioria do povo judeu de Israel apoia a agressão, tal não a legitima aos olhos do direito internacional. Como muito bem lembrou, uma minoria relativa elegeu Hilter, e esteve a favor das anexações da Áustria (com a aparente concordância do povo Austríaco) e Checoslováquia. Mas tal não torna essas anexações legítimas. Morei nos EUA durante o primeiro mandato do Presidente W. Bush. Estive na primeira manifestação contra a já prevista invasão do Iraque, frente às NU, enquanto Colin Powell fazia a sua apresentação sofisticada com argumentos agora provados como falsos sobre a existência de armas de destruição massiva. Cá fora éramos apenas uma centena e poucos. Mas tínhamos razão. Aos poucos esse movimento nos EUA foi ganhando peso, Bush foi sendo desmascarado, os mortos Iraquianos e Estado-Unidenses foram-se amontoando, e passado uns meses eram dezenas de milhares de pessoas na rua, e antes das recentes eleições presidenciais maioria da população estava contra a continuação da guerra. A razão nem sempre está com a maioria, sobretudo quando é fomentado, pelo Governo e comunicação social, o medo e o imperativo de vingança, alimentando admissivelmente por ataques reais (tal como foram reais os ataques de 11/Set). Mas o custo em termos de vidas Israelitas dos ataques de morteiros Palestinos é numa ordem de grandeza abaixo das vitimas Palestinas. Terão que ser proporcionais as mortes? Não estou a implicar que se o número fosse semelhante quaisquer das mortes já seriam aceitáveis, apenas tenta argumentar que a opinião da maioria da população judia de Israel, para mim, pesa pouco. Frizo judia, para recordar que dentro do território de Israel também existem outras etnias, incluindo Palestinos, considerados como cidadãos de segunda.

    7. Para adiantar mais um ponto à discussão: será que a solução de Oslo, de dois estados, é a melhor opção para uma paz duradoura? Edward Said, intelectual Palestino que residiu a maior parte a sua vida nos EUA, chegou à conclusão que a existência de dois estados, tendo por base uma segregação étnico-religiosa, i.e., um Israelita/Judeu e um Palestino, não seria uma solução de paz. Como funcionaria um estado único daria muito reflexão, trabalho e experiência. Poderia haver uma repartição de poderes entre facções, como no Líbano (não que este país viva uma situação óptima). Há experiências históricas de países e territórios que não possuem partidos. No caso do Uganda, tal foi precisamente para evitar a constituição de partidos unicamente sob a base étnica.

  28. Paulo Monteiro da Conceiçãoa 11 Jan 2009 as 23:50

    André Levy, obrigado pelo seu post e mais achegas. Irei responder-lhe quase telegraficamente e mantendo a ordenação que criou até por haver pontos errados que requerem clarificação importante, tanto mais porque, estou certo, não são erros e imprecisões deliberados. No essencial parece-me que há mais pontos de contacto entre nós do que de divergência.

    1 – Não sei se a questão do reconhecimento de Israel pelos países árabes está ultrapassada e não me parece que esteja. Aliás, ainda em 2008 a Arábia Saudita financiou o Hamas e este continua a defender a destruição do estado israelita. Mas ao Hamas já aludirei mais adiante em maior pormenor. Além dos países árabes temos ainda o caso do Irão, uma questão bem mais bicuda e essencial para a paz em todo o Médio Oriente. O Irão (que não é árabe mas sim persa) e a Arábia Saudita sempre competiram pela liderança do mundo islâmico e aqui poderíamos ir mais longe aludindo às divisões dentro do próprio islamismo entre as correntes xiita e sunita. E isto cria algumas ondas de choque que acabam por ir refletir-se nos apoios ao Hamas e ao Hezbollah, no reconhecimento da existência de Israel e, em geral, na resolução desta questão.

    2 – Aqui, antes de mais, uma correcção muito relevante. Hudna não é, de todo em todo, um tratado de paz, André. Uma hudna é uma trégua prolongada, usada normalmente e aliás à qual o Corão alude, como forma de reorganização dos exércitos árabes na sua luta contra os infieis. Não se confunda hudna com paz porque são coisas bastante diferentes. Aquilo que o André procura é suhl, este sim, o termo árabe para a paz duradoura. Entre o Egipto e Israel tal como entre a Jordânia e Israel foi estabelecido um suhl, a paz verdadeira e sentida, a reconciliação. Uma hudna foi o que houve há uns meses entre Israel e o Hamas, uma trégua. É importante clarificar o significado destes dois conceitos dado serem muito, muito diferentes.
    Fronteiras de 1967: essas são as actuais, desde 2005 e da retirada de Israel da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, com a excepção dos Montes Golã a que já aludi anteriormente e de partes do norte Cisjordânia. De qualquer forma Israel já aceitou ceder as partes da Cisjordânia que ainda ocupa ou trocar por áreas equivalentes contíguas à faixa de Gaza em troco da paz, até mesmo para proteger o seu território que, com as cedencias na metade norte da Cisjordânia ficaria com a totalidade do seu território exposto a ataques provenientes da Cisjordânia e de Gaza. Veja-se que é uma decisão extremamente dificil esta, de ceder territórios com imensa valia estratégica militar àqueles que são os inimigos daí ser óbvia a cautela em faze-lo e aceitar faze-lo (como Israel já fez) apenas em troca de paz e segurança. Israel ainda tem na memória o que aconteceu na guerra dos Seis Dias em que os Israelitas iam sendo, literalmente, deitados ao mar.
    Hamas: Por um lado, o Hamas nunca referiu ou aceitou reconhecer Israel e a sua existência, mesmo dentro das suas fronteiras pre-1967. Por outro, de que Hamas falamos? Do braço político ou do braço militar? É que em 2007 o braço politico aceitou governar Gaza pacificamente mas o braço armado optou por perpetuar a luta contra Israel e foi este último que prevaleceu. Repare, nem sequer os árabes aceitam o Hamas. O Egipto fala com o Hamas mas a contra-gosto e mantem a sua fronteira com a faixa de Gaza encerrada, a Jordânia e outros países têm-no na sua lista negra, é organização terrorista nas listas da UE, US e vários outros países. O Hamas é um verdadeiro bico de obra. E, lá está: falam em hudna como muito bem transcreveu. Não em paz. Enfatizo que é extremamente importante esta distinção para evitar graves problemas no futuro. Notoriamente o estado hebraico conhece bem esta distinção da língua árabe e sabe muito bem o que quer dizer hudna, tanto o seu significado de dicionário como o seu significado corânico. Repare que não foi apenas Israel a impôr sanções ao governo do Hamas, por muita legitimidade democrática que este tenha. Foi Israel, foram os países do quarteto (EUA, Russia, ONU e UE) e indirectamente também o Egipto e a Jordânia. É que o Hamas não é considerado credivel por ninguém… nem sequer conseguem arrumar a sua própria casa.

    3 – Olhe que mesmo durante a trégua não deixaram de sair rockets da faixa de Gaza que aterraram em cidades israelitas. Não foi bem Israel quem violou as tréguas aqui com o episódio a que aludiu. Há várias cronologias sobre esse período na web, basta ve-las. As datas da trégua eram de 19 de Junho a 19 de Dezembro e não de 17 de Junho (isso foi a data em que elas foram assinadas) a 4 de Novembro. No que toca aos planos de contingência isso é um pouco demagógico falar neles. Todos os países do mundo têm planos de contingência para diversos eventos. São isso mesmo, planos de contingência para, se acontecer, saber-se o que se fazer. Israel ter esses planos de contingência são algo tão indicativo de que tinha a intenção de os pôr em prática como é indicador da probabilidade de sofrermos um ataque bacteriológico a existência na protecção civil Portuguesa de planos de emergência para essa eventualidade, que existem e são públicos.

    4 – Varios conflitos terminaram por negociações durante a fase bélica. A guerra em Moçambique, por exemplo. Sobre o regresso às fronteiras de 1967 já aludi anteriormente. Agora o direito de passagem. A solução que mais me agrada é a construção dum túnel entre Gaza e a Cisjordânia. Em sua alternativa aceito a construção duma via férrea, vedada, nalguns pontos necessariamente sobre-elevada. Uma estrada vedada não, por permitir um grau de mobilidade muito superior às outras duas opções que seria sempre causa de tensões quando não mesmo desculpa para escaramuças entre ambas as partes. Com um túnel – idealmente – ou com uma via férrea 100% segregada, seja com vedações inviolaveis, seja com elevamentos onde necessário, dá-se menos margem a tais possibilidades.

    5 – O bombardeamento à escola já foi justificado com dados e imagens dos serviços secretos de 2007. Talvez Israel não devesse ter bombardeado a escola por ser administrada pela ONU. Mas se não houvesse lançamento do rockets de áreas civis estas confusões não sucederiam. Agora, obviamente que não é um bombardeio indiscriminado. É um ataque a um alvo específico. Um bombardeio indiscriminado é exactamente o que o nome indica pela sua definição de dicionário de bombardeiro e indiscriminado, ou seja, um bombardeio “indistinto; sem ordem ou método; confuso e irreflectido”. Ora, nem com muita latitude de interpretação se podiam aplicar estes qualificativos ao bombardeio da escola. Israel queria efectivamente bombardear a escola, era aquele exactamente o seu alvo, já apresentou os seus motivos para o ter feito e uma investigação dirá se foram legítimos. Se não foram, foram um erro e as forças armadas israelitas tirarão daí as suas consequências. Se foram legítimos no âmbito da operação em curso, foram-no, simplesmente. Enfatizo aqui, que se não houvesse a dissimulação dos lança-rockets em áreas civis, no meio da população, nada disto sucederia.

    6 – Neste ponto estamos de acordo e eu aludi às maiorias e minorias no contexto específico do que o blogger original escreveu sobre as diferenças entre Israelitas e o governo de Israel entre outros, fazendo questão de enfatizar que nem sempre as maiorias estão certas nem as minorias erradas. Uma mentira não se torna numa verdade por ser dita milhões de vezes nem a verdade se torna mentira por apenas ser dita uma vez. Neste campo estamos plenamente de acordo.

    7 – Pessoalmente não acredito na solução dum estado só dadas as imensas desconfianças e medos existentes que não iriam desaparecer da noite para o dia, para mais porque de ambos os lados existem extremistas numa percentagem nada desprezável. Todo o caminho desde 1947 tem sido feito no sentido de dois estados e não faria sentido retroceder tudo isso, retroceder a antes de 1947, para ir no sentido duma solução complicada em extremo e que provavelmente não funcionaria de forma alguma. Já agora, no Uganda existem partidos políticos.

  29. tiago santosa 21 Jan 2009 as 19:19

    Caro Paulo…
    São tantos os erros da sua argumentação que me custa começar por algum…
    A entrevista do líder do hamas para o le monde diplomatique ajuda bastante http://pt.mondediplo.com/spip.php?article419...
    Além disso…mesmo que o hamas não reconhecesse o Estado de Israel, a verdade é que Israel não reconhece o estado Palestiniano.
    Mais, o único direito que Israel tem em relação àquelas terras é-lhe concedido por Deus e eles saíram definitivamente por causa dos Romanos no séc II…Os Muçulmanos vieram depois…portanto, não sei que direito têm o Estado Israelita de tirar a terra aos Palestinianos…
    Mais, que raio de valores democráticos defendemos no Ocidente se ninguém aceitou a escolha verdadeiramente democrática do povo palestiniano?
    E se tivesse tempo continuava…

    um abraço…

    Tiago Santos

  30. Carlos R.a 24 Mar 2010 as 1:47

    Para todos aqueles que aqui deixaram comentários a enaltecer os pobres palestinianos e desancaram nos patifes dos Israelitas: estão a precisar de ler algo pois os vossos comentários são da maior hipocrisia. Não digo que mintam, digo que são hipócritas. Porquê? Por muitíssimas razões:
    Criticam israelitas e pedem para que nos coloquemos nos sapatos dos palestinianos e não se lembram de se colocarem nos sapatos dos israelitas. Estas pessoas não entendem o que é ter medo que uma bomba nos caia em cima a qualquer momento (mais de 2700 caíram dentro de Israel em 2008). Já morreram mais de 400 israelitas desde 2007, devido às bombas do HAMAS, mas estes não contam pois morrem espaçadamente e por isso não vendem jornais. Parece que a vida de israelitas tem menos significado do que a vida de palestinianos. Hipocrisia!
    Pior ainda é encher páginas inteiras de jornal com as baixas da operação Cast Lead (cerca de 1400) e não ligar a mínima atenção às baixas no Sri Lanka onde o governo atacou campos de refugiados e matou entre 20 mil a 40 mil civis! As vidas dos palestinianos valem mais que tudo o resto.” Valha-me Deus que morrem 1000 palestinianos! Deixa lá os do Sri Lanka que não valem nada! Não interessa os 30 mil mortos pelo governo do Sri Lanka a combater terroristas islâmicos. O importante são os 1000 palestianos que morreram quando Israel combateu os terroristas islâmicos.” Dois juízos para a mesma situação. Se isto não é hipocrisia é o quê?
    Depois há outra coisas interessante: todas as baixas civis da operação Cast Lead são atribuídas a soldados israelitas…Bolas, aqueles palestinianos devem ser mesmo bons no tiro pois não cometem fraticídio uma única vez! É fenomenal! Não há um único exército do mundo que tenha feito algo semelhante e tenha passado por uma guerra sem cometer actos de fraticidio e acertado em civis (specialmente no ambiente congestionado da Faixa de Gaza). Acho que o HAMAS poderia ganhar imenso dinheiro ao dar cursos de tiro aos israelitas pois eles decerto querem saber qual é o segredo que faz com que num combate urbano cheio de civis só o inimigo é que falhe na pontaria…
    Esquecem-se que quando Israel entra na Faixa de Gaza para atacar terroristas fá-lo em resposta a um ataque prévio. Alguém pode negar que isto é verdade? Então porque é que absolvem os agressores e atacam os que se defendem. É por causa da famosa “desproporção da resposta”? Mas o que é que querem então? Presumo que querem que entrem no covil dos assassinos dois a dois armados com revólveres…A última vez que isso aconteceu acabou com os israelitas linchados pelat turba palestiniana, que incluía mulheres e crianças. Aliás, foi um jovem dos seus 15 anos que veio à janela mostrar as mãos ensanguentadas do sangue dos israelitas mortos. E o que é esta famosa “resposta exagerada” que toda a gente diz que os isrealitas fazem? Será que saltaram as linhas que descreviam os esforços feitos para não atingir civis? Os telefonemas prévios a advertir que as casas seriam alvo de bombardeamento são um verdadeiro luxo para os terroristas! Os panfletos lançados de avião dias antes a avisar que iria ser lançada uma incursão militar (Líbano) são, infelizmente, pérolas dadas a porcos pois muitos dos civis aninham-se nos telhados das casas dos terroristas para impedir o seu bombardeamento. Pode-se criticar o esforço que os isrelitas fazem se nunca houve outro país a fazer um décimo desse esforço? Quando é que nós portugueses avisávamos as aldeias em África antes das atacar? Quem é que teria coragem de voluntariar sequer essa ideia? Apontamos a palha nos olhos dos outros e não vemos a trave nos nossos olhos. Hipocrisia!
    Então e as acções levadas a cabo por Israel para unir ambas as partes e que os palestinianos destruiram? Ninguém fala delas, chateia ouvir provavelmente. Um projecto para empregar mais de 20 000 palestinianos que foi ao ar (literalmente) quando um terrorista se fez explodir no meio dos candidatos. Os canos de ferro para os palestinianos criarem um sistema de esgotos: cortados em partes e usados para fabricar bombas que atingiram Israel logo de seguida. As estufas e quintas deixadas intactas na Faixa de Gaza em 2005 quando Israel abandonou a Faixa aos seus habitantes: queimadas e arrasadas pelos palestinianos (provavelmente para não aceitarem o facto de que os israelitas são unidos e com o seu trabalho constroem um futuro onde eles só constroem ódio). A banda de música para crianças que foi proibida na Cisjordânia por ser uma afronta ao Islão e que os Israelitas aceitaram e pagaram para continuar. Onde é que estavam os jornalistas quando isto aconteceu? Decerto estavam a tirar fotos dramáticas dos pobres de Gaza.
    E que pobreza é esta de que se fala tanto? Existem milhões de pessoas a morrerem à fome nos cinco continentes; ninguém morre à fome na Faixa de Gaza. Que pobreza é esta que permite que soldados do HAMAS andem armados do bom e do melhor. Qualquer militar que olhe para os soldados do HAMAS identifica equipamento totalmente novo, metralhadoras topo de gama cujo preço-base são mais de mil euros por arma…Uniformes novos, miras ópticas, mísseis terra-terra (cujo preço é de vários milhares de euros por míssil e outros tantos pelo sistema operativo), mísseis terra-ar, lança granadas, metralhadoras pesadas. Como é que se pode dizer que estas pessoas são pobres? Um exército de terroristas armado como o que se vê nas fotografias não se cria com meia-dúzia de tostões!
    A lista de hipocrisias é interminável. Já houve uma altura em que eu gostava de as expôr aos outros, agora estou farto e é impossível para mim descrever a realidade escondida do Médio Oriente em poucas palavras. Como é que se podem pôr dezenas de livros, dezenas de entrevistas e reportagens num pequeno texto? As pessoas têm que ler e mais nada. Os que não lêem são um bando de ignorantes que gostam da cegueira auto-imposta e do preconceito vivido pelos media. Deixem a televisão e agarrem-se aos livros! Ainda ontem diz a jornalista da RTP2: “Israel constroe 1600 novos colunatos”. Que miséria de jornalismo! Não são 1600 “colunatos” mas sim “apartamentos”…
    Os conflitos são a vida dos média. Os jornalistas são autênticos abutres que só se aproximam do alimento putrefacto. Só o perverso os atrai e estão dispostos a criar o seu próprio alimento quando este é escasso.


Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\sidebar.php on line 142

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 2

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 12

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 22

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 32

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 42

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 52

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 62

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 72

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 82

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 92

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 102

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 112

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 122

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 132

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-includes\default-constants.php:1) in C:\Inetpub\vhosts\server11204.poundhost.com\sedes.pt\www\blog\wp-content\themes\sedes\sedes\footer.php on line 142